Atualmente, vivemos numa dualidade: comer ou não comer glúten. Com o incentivo a vida saudável, e ao famoso estilo de vida fitness, vemos cada vez mais pessoas incentivando o não consumo desse. As premissas são muitas, desde que ele engorda como até que o mesmo causa alterações no humor. Mas será que tudo isso é verdade?

 

O que é o glúten?

O glúten é uma combinação de proteínas chamadas gliadina e glutenina. Estas são naturalmente encontradas, principalmente em cereais como no trigo, aveia, cevada e outros. Esse componente confere elasticidade e tenacidade às massas. Além disso,  garante que a mesma fique bem macia e característica de pães e bolos, por exemplo.

 

Mas será que o glúten pode causar doenças?

A doença celíaca é uma reação exacerbada do sistema imunológico ao glúten. Entretanto, essa doença tem origem genética, ou seja, é desenvolvida devido a uma predisposição. Dessa forma, familiares de pacientes que possuem esta condição têm mais chance de desenvolver esta doença.

Normalmente, o corpo humano produz uma enzima capaz de processar o glúten. No caso de celíacos, essa proteína não é processada da forma correta, o que faz com que o sistema imune reaja à esta atacando a mucosa intestinal, causando lesões e mau funcionamento. Com isso, surgem os sintomas característicos como diarreia, barriga estufada, gases, entre outros.

Entretanto, essa doença não é causada pelo consumo de glúten. Apesar de muito se ouvir falar sobre o mesmo causando aumento da sensibilidade do intestino, esse assunto ainda permanece muito controverso e ainda está sendo estudado.

 

Dieta sem glúten

Por que muitas pessoas, mesmo não sendo celíacas ou possuindo algum tipo de sensibilidade, não consomem o glúten?

Um dos principais motivos é o emagrecimento. Já foi comprovado que a retirada do glúten pode levar a perda de peso. Porém, o que muitos se enganam é que isso decorre não pela não ingestão do glúten em si, e sim, porque ao retirá-lo a pessoa deixa de ingerir as principais fontes de carboidratos como pães, massas e bolos. Desta forma, leva a redução nas calorias ingeridas. Menos calorias equivale a perda de peso. E com isso, pode-se observar a tão sonhada diminuição na balança. Assim, o emagrecimento poderia ocorrer com a diminuição da ingestão de qualquer alimento que seja mais calórico, não sendo algo específico ao glúten.

Portanto, vale lembrar que não é adequado retirar nenhum alimento da dieta sem antes consultar um profissional da saúde, como um médico e/ou um nutricionista. Afinal, nada em excesso faz bem a nossa saúde. Estudos mostram que uma dieta balanceada, com a ingestão de glúten, pode levar a diversos benefícios, como o aumento da absorção de nutrientes assim como controle da glicemia.

 

Glúten no rótulo nutricional

Devido a tudo que foi exposto, a ANVISA preconiza que os rótulos dos alimentos possuam informações sobre a presença ou não do glúten. A RDC n° 26/2015 e a Lei Federal 10674/2003 foram estipuladas a fim de promover a saúde. Mas é importante lembrar que o fato do alimento conter a informação “não contém glúten” não o torna imediatamente mais saudável. É necessário sempre ficar atento às informações nutricionais e sempre prezar por uma vida saudável e equilibrada.

 

Escrito por: 

Sara Dias - Assessora da Vice-Presidência