O que é a toxicologia?

Define-se como ciência que estuda os efeitos advindos das substâncias químicas sobre os organismos de seres vivos. É uma ciência que abrange inúmeras áreas do conhecimento com profissionais de diversas áreas.

 

O mercado toxicológico

  • Toxicologia Clínica: observa pacientes que permaneceram expostos a algum agente tóxico. Com o intuito de prevenir, diagnosticar a intoxicação e se necessário, realizar medidas terapêuticas.
  • Toxicologia Ocupacional: estuda as ações e efeitos prejudiciais de determinadas substâncias que são empregadas no ambiente de trabalho sobre o organismo do indivíduo exposto.
  • Toxicologia de Alimentos: estuda a toxicidade das substâncias difundidas pelos alimentos. Isto ocorre, através da busca de índices de seguranças para o consumo de alimentos sem danos à saúde.
  • Toxicologia Ambiental: estuda os efeitos nocivos causados em organismos vivos pelos conteúdos químicos presentes na terra.
  • Toxicologia Experimental: estudo para buscar os mecanismos das ações dos toxicantes sobre os sistemas biológicos. Com o intuito de avaliar os efeitos decorrentes dessa ação. Esta avaliação de toxicidade é conseguida através de análises realizadas em diferentes espécies de animais.

 

O farmacêutico na toxicologia

A carreira de farmacêutico pode ser inserida numa área das análises clínicas, realizando análises toxicológicas, que são muito demandadas pelo mercado de trabalho. Pode atuar como perito criminal, que requer aprovação em concurso público e também na área forense e ambiental.

 

O que faz o farmacêutico na área de toxicologia?

 

  • Em laboratórios de análises clínicas:

Na área de Análises Clínicas e Toxicológicas, o farmacêutico deve estar preparado para trabalhar em laboratórios de análise, públicos e particulares. Este será responsável pela gestão laboratorial, execução de exames clínico-laboratoriais, que auxiliam no diagnóstico das doenças. Além da realização das análises toxicológicas. Atuará na supervisão técnica, operacional e administrativa. Pode também controlar e identificar a presença de produtos que, atuando como tóxicos, afetam as pessoas, o ambiente, os alimentos e os próprios medicamentos. Desta forma, gerencia a qualidade e desenvolve o controle desta internamente e externamente. Além disso, pode identificar diferentes substâncias químicas, em diferentes matrizes, atuando nas áreas de alimentos, medicamentos, ocupacional, social e ambiental.

 

  • Em perícias criminais:

Está a serviço da justiça. É especializado em encontrar ou proporcionar a prova pericial mediante a análise científica de vestígios produzidos e deixados na prática de delitos. As atividades periciais são classificadas como de grande complexidade, em razão da responsabilidade e formação especializada revestidas no cargo. As atividades desenvolvidas pelos peritos têm como objetivo executar com exclusividade os exames de corpo de delito. Além de todas as perícias criminais necessárias à instrução processual penal, nos termos das normas constitucionais e legais em vigor. Estes exercem suas atribuições nos setores periciais de: rastrear a presença de drogas lícitas ou ilícitas no sangue de indivíduos vivos, por meio de exames, realizar exames em cadáveres, por meio da necropsia, investigar possíveis falsificações ou adulterações de medicamentos comercializados, investigar acidentes químicos de massa e também examinar instrumentos utilizados em casos de infração penal.

 

  • Em laboratórios de análises ambientais:

Um promissor campo de atuação é o tratamento de água e esgotos industriais. Devido ao aumento da regulação ambiental, as empresas investem cada vez mais na área. Caso o profissional opte por seguir carreira no controle ambiental de indústrias farmacêuticas e cosméticas, o número de profissionais envolvidos com o controle ambiental é muito inferior aos envolvidos nas outras carreiras farmacêuticas industriais. Desta forma, há uma restrição na oferta de oportunidades. Este estudará o efeito tóxico de contaminantes no meio ambiente, realizará também estudos relacionados a poluição atmosférica e acompanhará o processo de tratamento de dejetos industriais. Além de pesquisar e desenvolver metodologias para o tratamento e controle de águas para serem utilizadas até mesmo para o consumo da população.

Ser especialista ambiental (controle de qualidade e tratamento de água, potabilidade e controle ambiental) exige do profissional aptidão para tarefas analíticas, conhecimentos aprofundados em química e microbiologia, capacidade de concentração e organização.

 

Escrito por:

Ester Prado - Diretora de Marketing