O que é a Homeopatia? 

A palavra Homeopatia é derivada da palavra grega homoispathos, sendo que homóis significa “semelhante” e pathos sofrimento”, "doença". É orientada por alguns princípios, como:

  • Princípio da lei dos semelhantes:

A doença pode ser curada pela mesma substância que a provoca.

  • Princípio da experimentação em pessoa sadia:

Este princípio dita que os testes de medicamentos homeopáticos devem ser realizados em pessoas sadias, de modo a verificar os “venenos” que causam as doenças e que são os mesmos que as curam, quando aplicados em doses homeopáticas.

  • Princípio das doses infinitesimais:

Este consiste na diluição drástica e dinâmica do medicamento.

  • Princípio do medicamento único: 

Afirma que o paciente deve tomar somente o medicamento que contenha o maior número de estímulos para os sintomas que ele apresenta. Sendo assim, procura-se, com um único medicamento, abranger a totalidade dos sintomas do indivíduo.

 

Medicamentos Homeopáticos

Os medicamentos são preparados a partir de substâncias naturais, podendo ser do reino mineral, vegetal ou animal. Essas substâncias podem ser tanto tóxicas quanto inertes e que quando experimentadas tenham uma similaridade aos sintomas da doença a ser tratada. São elaborados de acordo com técnicas especiais, tendo uma fundamental importância na comunicação entre médico, paciente e o farmacêutico. São conhecidos por demorar a agir, mas isso não acontece de verdade. Isso porque, eles funcionam de maneira imediata, melhorando assim com o tempo. Porque o objetivo da Homeopatia é chegar ao equilíbrio e para se chegar a isto é necessário tempo. Porém, os resultados já são percebidos de imediato.

Homeopatia é considerada como uma “terapia sem efeitos colaterais”. Isso ocorre devido a cada medicamento ser realizado exclusivamente para determinado paciente. Por isso, os casos de efeitos colaterais são raros, e acontecem somente se alguém ingerir um medicamento que não foi feito para ela. Ou então, porque o indivíduo não buscou um médico especializado.

 

O Farmacêutico na Homeopatia

Dentre diversas atribuições do farmacêutico, a atuação na Farmácia Homeopática costuma ser alvo de grandes elogios. Este desenvolve o seu papel na Homeopatia através do seu saber sobre as doenças, dos recursos farmacotécnicos, fármacos, da garantia da qualidade, entre outros conhecimentos. Desta forma, este profissional se apresenta apto para elaborar e propor soluções em medicamentos ajustados às necessidades individuais dos pacientes. Estas são detectadas por profissionais de saúde habilitados a prescreverem formulações para tratamentos personalizados, oferecendo o medicamento e toda atenção farmacêutica de forma individualizada para cada paciente. E assim, esclarecendo dúvidas e ressaltando o uso racional, cuidado e importância da prescrição.

As atribuições privativas dos farmacêuticos especializados em tal área foram regulamentadas pelo Conselho Federal de Farmácia (CFF), por meio da Resolução n° 601, de 26 de setembro de 2014. Algumas das funções do farmacêutico na Homeopatia são: o assessoramento e a responsabilidade técnica na indústria farmacêutica, nas farmácias comunitárias e magistrais, no serviço público e privado, onde são desenvolvidas atividades relacionadas à homeopatia. Além da manipulação e a dispensação de medicamentos homeopáticos e a elaboração de laudos técnicos. Ou ainda, a realização de perícias técnico-legais relacionados a estabelecimentos, serviços e produtos homeopáticos.

 

Escrito por:

Alípio Neto - Assessor de Marketing